Pages

Ads 468x60px

18 de junho de 2010

Surpresas Frustradas


Uma das coisas que gosto de fazer é ir até a cafeteria beber um ginger coffee enquanto observo as pessoas e penso na vida! Gosto de ver essa interação que algumas pessoas tem com o que está em volta, com o ambiente, aquele quase eterno vai e vem de gente, com suas ideologias, seus falsos conceitos...e gosto de imaginar quem são, e como elas chegaram até ali...

Do meu lugar quase cativo, tenho ampla visão da rua por uma parede de vidro e nesses dias de frio e chuva que tem deixado o Rio um pouco diferente do que ele é! Me chama a atenção um homem que parado no frio parece esperar alguém, usando seu guarda-chuva como bengala ele equilibra na mão direita um embrulho, bem vestido e com um ar impaciente ele espera.

Já estava quase indo embora na hora em que ele chegou, mas por pura curiosidade resolvo pedir outro ginger só para ver quem ele está esperando, de dentro do café não tenho a noção do frio que faz lá fora, e sem se proteger do vento gelado aquele homem continua a esperar.

Por ele passam casais, gente com pressa, gente reclamando, mulheres bonitas, carros buzinando, mas sua atenção é toda para o embrulho, que ele segura com todo o cuidado...do outro lado eu observo e fico pensando que pela sua postura a pessoa está atrasada...

O tempo passa e ele continua ali parado! Irredutível na idéia de esperar pela pessoa, e nem mesmo o frio e o desconforto da espera parece Ter efeito sobre ele...no vidro que nos separa vejo gotas de chuva, e enquanto as pessoas apertam o passo ou correm para se abrigar, ele continua lá.

A chuva fica mais forte e ele abre seu guarda-chuva sem sair do lugar! Eu não paro de pensar que ele poderia telefonar pra saber se a pessoa já está chegando...mas em seu olhar vejo que não é isso que ele quer, olho no relógio e estamos ali, eu e ele, esperando a quase uma hora e meia ...

Finalmente após duas horas ele vai embora da mesma forma que chegou, vejo ele seguir seu caminho ainda segurando o embrulho com cuidado e muito dignamente com seu guarda-chuva ele some na multidão...eu resolvo ficar mais um pouco, e olhando para fora, sinto um vazio! Penso que a qualquer momento a pessoa pode chegar ...e prometo que se isso acontecer eu vou até lá dizer que...sim! ele esperou!

Ainda fico lá por mais uma hora e não vejo ninguém parar naquele local! E digo a mim mesmo: ela não veio! Saio do café ainda buscando por alguém que no ultimo momento venha correndo até mim e pergunte se por um acaso não vi um homem com um embrulho que deveria estar ali...mas isso não acontece!

O que aconteceu que ela não veio? Eu não sei! nunca na minha vida me senti tão sozinho como nesse dia! O que tinha no embrulho? Era um presente? Aquele cara, nem imagina! Mas estive com ele o tempo todo no dia em que ela não veio! Ela não apareceu pra mim também! Também esperei.

Enquanto você leu esse texto, isso em algum lugar tá acontecendo novamente, o eterno desencontro de pessoas que vem e vão para nunca mais voltar, com suas surpresas frustadas. Talvez ninguém nunca mais venha saber o que tinha no embrulho, e é assim...quantas vezes deixamos de descobrir o que nos reserva? Será que já joguei fora a oportunidade de ser feliz também? E você ? já?

12 comentários:

Rima disse...

Nossa. Você tem um poder incrível de levar as pessoas aonde quer e faze-las entrar numa profunda reflexão..ao menos comigo é assim. ;)

Lara Kauark disse...

sempre me perco... tenho a sensação q existe alguem me esperando com um embrulho ... mas não o encontro, e por isso o deixo esperando demais... aí vencido, ele parte, e eu continuo procurando.......

rafaelaoliva disse...

Adorei, como todos os anteriores, você sempre me toca de uma forma muito especial e sutil tão envolvente que me sinto dentro dentro da cafeteria imersa em suas palavras que até parecem meus pensamentos quando fico observando as pessoas, sempre andando pela rua, e no meu imaginário crio uma vida para cada uma delas e sempre penso que naquele momento, eu também posso estar fazendo parte do imaginário de alguém que me deu uma vida diferente da que eu tenho e nela talvez eu tenha conseguido chegar antes dele ter ido embora.

Raiana Reis disse...

E quantos desencontros não são resultado de escolhas nossas... sua observação me trouxe reflexão das recusas que tantas vezes optamos.

Na observação que fez ao meu texto, estava mais do que certo... rsrs Há sim uma quase criptografia.

Abraços

Lara Kauark disse...

Gosto tanto dos seus comentários, quanto dos seus textos, me fazem sempre repensar as coisas...
seu comentário me diexou, quietinha por um tempo, e agora um turbilhão de pensamentos...
é sempre bom! Obrigada

Lu disse...

Acho que a qualidade dos seus textos nem precisa ser comentada, esse em especial achei envolvente e angustiante...

Sabe q eu tenho as respostas na ponta da língua, né?

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Robson,

Essa oportunidade não passou batida na minha vida. Seu texto está reflexivo.

-----------------------

Chegamos de viagem e venho aqui só pra dizer que esse carinho danado de bom é realmente algo que faz falta.

Que sua noite seja de luz.

Rebeca

-

Erica Vittorazzi disse...

Ai Robson, também fiquei esperando por ela, enquanto lia...

Se já joguei oportunidades fora? Algumas vezes. Se já deixei a felicidade me esperando? Sim.

Mas, agora eu sou o embrulho...rs!!

bEIJOS
ps: Tá frio aí no Rio???

Bia Monteiro disse...

Que relato incrível Robson...
Bem... num me lembro de ter deixado alguém a esperar assim...
Acho q fiz mto mais o papel de quem espera...
Afinal, oportunidades não devem ser perdidas,
Por mais pequenas e simples q sejam
Podem nos reservas grandes surpresas e consequentemente grandes felicidades...
Adorei!
Bjos
=P

Bia Monteiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rafaelaoliva disse...

Há mais de dez dias nada acontece por aqui....

Mila disse...

Gosto de fazer isso e tem um bom tempo que não faço. Assumo que fazia bastante: parar numa cafeteria, pedir um cappucino e ficar ali. Parada, vendo os carros passando, as pessoas, pensar no rumo que vc pode dar na vida...